Porque empreender

Porque empreender

Afinal, o que é empreender? U

empreender

verbo

  1. 1.

transitivo direto

decidir realizar (tarefa difícil e trabalhosa); tentar.

“e. uma travessia arriscada”

  • 2.

transitivo direto

pôr em execução; realizar.

“e. pesquisas”

Verbo super em voga nos dias de hoje e objeto de palestras, cursos, workshops sobre o tema, quem a escuta, de início tem a ilusão de algo de sucesso, de grandes feitos, grandes empresas, de resultados satisfatórios, de poder e de trabalho.  A palavra em si tem o significado acima descrito, mas o seu significado é muito mais amplo, gostaria da permissão dos leitores para passar a minha visão, simplista talvez, e desmistificar a palavra pois é através dela que temos todo e qualquer tipo de progresso e conforto em nossa sociedade.  Gostaria de deixar claro que existe uma grande diferença entre ser empresário e ser empreendedor, todo empresário necessariamente é um empreendedor, mas nem todo empreendedor é um empresário.

Escutei inúmeras vezes as pessoas me dizerem: Daniela, você consegue fazer isso porque você é empreendedora, como se fosse um dom ou uma característica que somente eu e um grupo seleto da humanidade tivéssemos acesso. Acredito que todos nós nascemos empreendedores e que a nossa sociedade moderna de certa forma diminuiu isso. Espero, sinceramente, que ao final do texto você se veja como um empreendedor. Adormecido talvez, mas um empreendedor.

Na minha opinião empreendemos por necessidade. A necessidade é a mãe da criatividade que por sua vez é a mãe da inovação através do seu instrumento principal que se chama ação. Na minha vida tive o privilégio de conhecer grandes empreendedores, desde mulheres pequenas e franzinas no interior da África, cujo o seu empreendimento nada mais era que o artesanato que ela vendia, até o milionário norte americano que movimenta mais de um bilhão de dólares o qual tive o prazer de conhecer em um evento no ano passado. Todos são grandes empreendedores. Como assim você deve estar me perguntando? Como comparar estes dois tipos de perfis e colocá-los sob a mesma perspectiva?

Todo empreendedor é um visionário. As visões mudam de acordo com a sociedade em que vivemos e o passado que trazemos. Todo empreendedor é um solucionador de problemas, um criador de soluções e um melhorador de sociedade. Todo empreendedor é capaz de produzir algo de muito pouco ou quase nada, apenas usando o seu senso criativo e os recursos disponíveis. A partir desta ótica começamos a entender o que temos em comum entre a senhorinha maasai no Quênia e o bilionário californiano. Ambos empreendem com o que podem e como podem. Perante a ótica da sociedade onde cada um vive, ambos têm sucesso.

Acredito que a minha avó e provavelmente a sua também eram super empreendedoras. As minhas avós pouco ou nada entendiam de economia global, não entendiam sobre juros, acredito que morreram sem saber o que era um plano de negócios. Nunca ouviram falar de soft skills, com elas, o negócio era bruto, mas empreenderam no âmbito familiar. Criar uma família numerosa era como gerenciar uma empresa. A quantidade de comida disponível para o mês, a forma como ela seria distribuída para ser suficiente para todos era o seu fluxo de caixa. As formas de gerar renda extras, seja com um crochê, ou vendendo pães eram as aplicações financeiras e as estratégias de marketing. Fazer com que os filhos mais velhos cuidassem dos filhos mais novos com eficiência e amor era gestão de pessoas e duplicação.  Ir morar em um lugar distante e começar a vida do zero com a família em busca de melhores oportunidades era como se fosse abrir uma empresa nova com um produto desconhecido em um país novo. Era ser pioneiro.

Acredito que você que está lendo o meu texto e é um funcionário de uma empresa, muito provavelmente se veja como um não- empreendedor. Quero fazer algumas perguntas e as responda com sinceridade. Você é sincero ou gostaria de ser no seu ambiente de trabalho? É pró-ativo? Soluciona problemas ao invés de criá-los? Faz mais do que lhe foi pedido e entende que somos parte de um todo e não uma parte separada da empresa? Exercita suas ideias no âmbito laboral? Acredita que a criatividade é uma qualidade?

Se você respondeu sim para duas ou mais perguntas acima, bem-vindo ao clube! Você é um empreendedor, se você nunca percebeu isso observe melhor que você irá descobrir novas e interessantes qualidades e, talvez um dia, em algum momento pode ser que tenha até o seu próprio negócio, quem sabe?

Espero que o texto tenha simplificado a ideia do empreendedorismo, gostaria realmente que todos os meus amigos que estão lendo aqui se vissem como empreendedores. Senão de uma grande empresa ou de grandes projetos, empreendedores de suas próprias vidas. Que cada pessoa que por aqui passou hoje entenda que dentro de nós existe a capacidade natural de criação de vida, de sucesso e de riqueza que é inerente a cada ser humano.

Um beijo grande e até o próximo mês.

Daniela Milani
[email protected] + posts

Brasileira, casada e mãe de três filhos, de 8, 10 e 12 anos. Formada em Odontologia pela Universidade Estadual de Londrina é empreendedora desde pequena. Viaja pelo mundo com o marido e os três filhos pequenos, já morou no Quênia e atualmente mora na Patagônia Argentina. Seu propósito no mundo é levar o empreendedorismo e ajudar a mulheres a serem independentes e prosperarem pelo mundo afora. Atualmente trabalha com empoderamento feminino e liderança feminina de alta performance.

Daniela Milani

Brasileira, casada e mãe de três filhos, de 8, 10 e 12 anos. Formada em Odontologia pela Universidade Estadual de Londrina é empreendedora desde pequena. Viaja pelo mundo com o marido e os três filhos pequenos, já morou no Quênia e atualmente mora na Patagônia Argentina. Seu propósito no mundo é levar o empreendedorismo e ajudar a mulheres a serem independentes e prosperarem pelo mundo afora. Atualmente trabalha com empoderamento feminino e liderança feminina de alta performance.

Deixe uma resposta

ArabicEnglishFrenchItalianPortugueseSpanish
Instagram
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us