Dois mil milionários deixaram o Brasil em 2018; segurança e economia estão no topo das preocupações

Pesquisa do AfrAsia Bank mostra que país foi o 7º no mundo a ‘exportar’ pessoas com fortuna de mais de US$ 1 milhão

O Brasil perdeu dois mil milionários no último ano, segundo relatório do AfrAsia Bank, feito em parceria com a consultoriaNew World Wealth. O número indica que 1% do total de brasileiros com mais de US$ 1 milhão decidiu viver no exterior, segundo a pesquisa. Entre as motivações para que os endinheirados tenham saído do país estão preocupações com segurança e economia. A busca por mais qualidade de educação e oportunidades no mercado de trabalho, também estão por trás do vaivém de milionários mundo afora.

No ano passado, 108 mil milionários no mundo inteiro deixaram suas casas e buscaram residência em outro país. O número representa um acréscimo de 13 mil donos de fortunas se deslocando pelo planeta. O foco do estudo são os chamados “High-net-worth individual” (HNWI), termo utilizado no universo das finanças para denominar alguém que possui investimentos acima de US$ 1 milhão, ou cerca de R$ 4 milhões.

No ranking de “outflows”, categoria que mostra as dez nações que registraram a maior quantidade de milionários deixando seus países no último ano, o Brasil ocupa o 7º lugar, segundo revelou o colunista do GLOBO Ancelmo Gois .

A China ficou em primeiro lugar, com 15 mil milionários emigrando do país. Essa leva que deixou o país asiático,  superpopuloso, com mais de 1 bilhão de habitantes, representa 2% do total de milionários chineses.

Em seguida, estão Rússia, com sete mil milionários emigrantes, Índia, com cinco mil, Turquia, com quatro mil, França e Reino Unido, com três mil cada. Após o Brasil, vêm Arábia Saudita e Indonésia, ambos os países com mil milionários que deixaram seu território. 

Em 2019, os cinco países que mais receberam imigrantes milionários foram Austrália, que registrou a entrada de 12 mil; Estados Unidos, com dez mil; Canadá, com quatro mil; Suíça, com três mil e Emirados Árabes Unidos, com dois mil.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta