ELAS FATURAM R$ 1 MILHÃO VENDENDO VESTIDOS DE NOIVA “SEM FRESCURA” PELA INTERNET

ELAS FATURAM R$ 1 MILHÃO VENDENDO VESTIDOS DE NOIVA “SEM FRESCURA” PELA INTERNET

Pouco antes de seu casamento, em 2013, a empreendedora Natália Pegonaro, 31 anos, se viu em desespero. Ela decidiu buscar por vestidos de noiva na internet, mas não encontrou nada como o que procurava: um modelo simples, confortável, barato e livre de detalhes “pomposos” ou de ostentação.

Ela então pediu ajuda a Laís Ribeiro, 31 anos, uma amiga que havia passado por algo semelhante no ano anterior. Das conversas e dificuldades vividas pelas duas surgiu uma percepção. Se vestidos desse tipo eram tão difíceis de achar, ali estava um bom nicho inexplorado.

Em 2014, as duas se uniram à empresária Janaína Pasin, 31 anos, para criar a marca “O Amor é Simples”. O e-commerce de vestidos de noiva aposta em simplicidade e baixo custo para atrair noivas desapegadas do luxo da indústria. O negócio faturou R$ 1 milhão em 2018 e espera crescer para R$ 1,8 milhão em 2019.

Menos é mais
Natália e Laís são de Porto Alegre (RS) e trabalhavam na área de Relações Públicas na época em que tiveram a ideia. Com conhecimento sobre internet, mas sem muitas noções sobre moda ou administração, elas decidiram falar com Janaína Pasin. A amiga e administradora de empresas gostou da ideia e entrou como sócia no negócio.

Cada uma investiu R$ 3 mil para colocar o site da loja no ar e lançar sua primeira coleção. Os tecidos e vestidos eram extremamente simples e os modelos foram feitos por uma costureira conhecida. “Se fôssemos pegar dinheiro no banco para lançar a melhor coleção e o melhor site possíveis, levaríamos muito tempo”, relembra Natália. Para alavancar o site, elas apostaram na produção de conteúdo, e-mail marketing e em anúncios digitais (uma das plataformas usadas foi o Google Ads).

A estratégia se mostrou certeira. As primeiras clientes gostaram dos vestidos, o que estimulou que o negócio começasse a evoluir. A estilista Évelin Bordin começou a assinar os modelos de vestido e, em 2018, virou a quarta sócia da empresa.

Hoje, a marca tem diferentes coleções para cada tipo de gosto e orçamento. Os preços vão de R$ 349 para um modelo curto até R$ 2,3 mil para um longo mais elaborado. Mesmo os vestidos mais trabalhados mantém a proposta de simplicidade e versatilidade adotada pela loja.

“A indústria sempre nos passou a ideia de que temos que ter um vestido chique, um grande salão e um bolo de sete camadas para sermos noivas de verdade”, afirma Natália. “Muitas pessoas não têm dinheiro para isso ou mesmo tem outras prioridades”.

Aposta gradual
Apesar de a marca ter começado dando certo, as empreendedoras não apostaram todas as suas fichas no negócio logo de cara. As três sócias continuaram em seus empregos e se dedicavam à “O Amor é Simples” à noite e aos fins de semana. Até o final de 2016, elas  investiam uma parte do salário para lançar cada nova coleção. 

A empresa foi acelerada em R$ 80 mil pela Ventiur no final daquele ano, chegando à casa dos R$ 100 mil em 2017. Embora tenha passado os anos anteriores no azul, foi nesse ano que a loja começou a lucrar efetivamente, com faturamento de cerca de R$ 350 mil.

Desde 2018, o e-commerce também mantém um espaço físico em Porto Alegre. O showroom, segundo Natália, ajuda a disseminar a marca entre as clientes que não ficam satisfeitas só com o online. Também foi nesse ano que as empreendedoras passaram a montar lojas temporárias para divulgar ainda mais a marca.

“Nós alugamos um espaço e, com três araras e três espelhos, conseguimos atrair muitas meninas”, diz a empreendedora. A estratégia envolve uma agenda de visita a diferentes cidades. Mesmo que não comprem no momento, muitas clientes acabam se familiarizando com a marca e recorrendo ao e-commerce na hora de comprar. 

Planos
Para 2019, o plano da O Amor é Simples é crescer de R$ 1 milhão para R$ 1,8 milhão em faturamento. A empresa também busca uma nova rodada de investimentos — e um dos possível planos para depois disso é abrir showroom em São Paulo (SP).

“A ideia é continuar escalando e focando no online para, talvez, atuar em outros países daqui a alguns anos”, afirma Natália.

Fonte: Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios

Cristina Cruz - Mentora
[email protected] | Website | + posts

Idealizadora e CEO do Mulheres Milionárias. Mentora de negócios e carreira. Investidora internacional em três categorias (finanças, negócios, capital humano). Business advisor. Empreendedora nata. Especialista em comportamento humano. Desenvolveu um método que trabalha mindset milionário, empreendedorismo e felicidade simultaneamente. Após superar diversos abusos na infância e adolescência e também a dois atentados contra a sua vida, sua missão e propósito é transformar vidas pelo mundo ensinando que é possível virar o jogo.

Cristina Cruz - Mentora

Idealizadora e CEO do Mulheres Milionárias. Mentora de negócios e carreira. Investidora internacional em três categorias (finanças, negócios, capital humano). Business advisor. Empreendedora nata. Especialista em comportamento humano. Desenvolveu um método que trabalha mindset milionário, empreendedorismo e felicidade simultaneamente. Após superar diversos abusos na infância e adolescência e também a dois atentados contra a sua vida, sua missão e propósito é transformar vidas pelo mundo ensinando que é possível virar o jogo.

Deixe uma resposta

ArabicEnglishFrenchItalianPortugueseSpanish
Instagram
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us