Primeira revista feminista para meninas da França defende empoderamento desde a infância

Primeira revista feminista para meninas da França defende empoderamento desde a infância

Informar, divertir, mas principalmente empoderar garotas de 7 a 12 anos: esse é o objetivo de Tchika, a primeira revista feminista francesa para meninas. A publicação será lançada em junho.

Cultura, arte, ciência, comportamento, moda, mas de uma forma a desconstruir os estereótipos de gênero. Com essa meta, a revista Tchika tem o objetivo de se diferenciar de todo o tipo de publicação comum para meninas que há hoje no mercado francês.

A idealizadora do projeto, a jornalista Elisabeth Roman, trabalha há 25 anos com publicações para crianças. À RFI, ela contou que a ideia surgiu ao perceber que as revistas infantis sem gênero se dirigem e interessam principalmente os garotos. Já as destinadas às meninas se concentram no mesmo tipo de conteúdo, utilizando códigos frequentemente sexistas.

“Um dia me dei conta que não havia na França revistas para o empoderamento das meninas, que mostrassem a elas que podem se tornar quem elas quiserem sem influência exterior, escutando-se a si mesmas”, afirma Elisabeth Roman. Ela lembra, no entanto, que Tchika é uma revista feminista concentrada no conhecimento, “abordando assuntos que a sociedade pré-classifica como não-femininos”.

A jornalista teve a confirmação do quanto esse tipo de publicação fazia falta no país ao receber um grande apoio de mães e pais para o financiamento participativo de seu projeto, realizado através da plataforma de coleta de fundos Ulule. “Homens e mulheres me escrevem afirmando que essa era a revista que eles esperavam para suas filhas. Mães me dizem que elas adorariam ter lido esse tipo de publicação quando eram pequenas”, diz.

No menu de Tchika, matérias sobre mulheres que marcaram a História, como a artista mexicana Frida Kahlo e ativista americana Rosa Parks. A publicação também destacará façanhas realizadas por personalidades femininas, como a da professora americana Annie Edson Taylor que, aos 63 anos, em 1901, aceitou um insólito desafio e se tornou a primeira pessoa a atravessar as Cataratas do Niágara dentro de um barril. Tchika também traz figuras inspiradoras de hoje, a exemplo de Amandine Henry, a capitã da equipe feminina de futebol da França.

Fonte: As Vozes do Mundo. Leia a matéria completa aqui.

Cristina Cruz - Mentora
[email protected] | Website | + posts

Idealizadora e CEO do Mulheres Milionárias. Mentora de negócios e carreira. Investidora internacional em três categorias (finanças, negócios, capital humano). Business advisor. Empreendedora nata. Especialista em comportamento humano. Desenvolveu um método que trabalha mindset milionário, empreendedorismo e felicidade simultaneamente. Após superar diversos abusos na infância e adolescência e também a dois atentados contra a sua vida, sua missão e propósito é transformar vidas pelo mundo ensinando que é possível virar o jogo.

Cristina Cruz - Mentora

Idealizadora e CEO do Mulheres Milionárias. Mentora de negócios e carreira. Investidora internacional em três categorias (finanças, negócios, capital humano). Business advisor. Empreendedora nata. Especialista em comportamento humano. Desenvolveu um método que trabalha mindset milionário, empreendedorismo e felicidade simultaneamente. Após superar diversos abusos na infância e adolescência e também a dois atentados contra a sua vida, sua missão e propósito é transformar vidas pelo mundo ensinando que é possível virar o jogo.

Deixe uma resposta

ArabicEnglishFrenchItalianPortugueseSpanish
Instagram
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us